Car@s amig@s

A partir de novembro de 2016, os textos e as Fichas de Estudo do Ambiente Virtual de Formação serão publicados apenas no novo site da Arquidiocese de Campinas,

Clique aqui para acessar o site, depois role a barra até encontrar o banner do AVF" A coordenação do AVF.

Projeto Igreja em Rede

Nesta página reproduzimos o texto original  do Projeto “Igreja em Rede”, criado pela Coordenação de Pastoral, em setembro de 2009. Originalmente ele foi divulgado na comunidade homônima Igreja em Rede, da rede NING, que foi desativada.

 logo da comunidade: Igreja em Rede no NING

1. O Projeto Igreja em Rede. O que é?

O nome Igreja em Rede evoca a ideia da rede mundial de computadores, no qual a Igreja deseja se inserir. Seu logotipo: uma rede, cujas dobras, lembra um peixe, nos evoca tanto a origem da Igreja, fundada sobre simples pescadores, como todo cristão, “pescado” pela comunidade cristã e, através, da qual recebeu o mandato de, também, ser um “pescador” de pessoas.

O avanço das tecnologias de comunicação ao enfatizar a importância da colaboratividade, nos chamados recursos da web 2.0, apresenta uma nova perspectiva para o uso da WEB na pastoral. Ao favorecer inúmeros recursos colaborativos aos internautas, ela estabelece uma prática social que se aproxima da exigência da comunhão e participação, proposta pela CNBB, legitimada na eclesiologia da Lumem Gentium. Através da Web 2.0 os cristãos podem e devem produzir informação tornando-se, portanto, produtor de opinião na sociedade e, também, no interior da Igreja.

Cada vez mais a Igreja percebe que deve contar com a WEB para anunciar o Evangelho. Mas ela não poderá fazer isso somente através dos poucos profissionais que possui, o que seria classificado como uma forma muito limitada e tímida, além de onerosa, mas deverá contar com todos os cristãos católicos que aceitarem o desfio de evangelizar através da WEB 2.0, também denominadas por muitos como WEB social.

Nesta perspectiva surge o “Projeto Igreja em Rede” na Arquidiocese de Campinas, como um desafio à pratica pastoral, a formação e a comunicação entre os diversos organismos eclesiais e destes com o mundo. Ele deseja incentivar a criação redes de trabalho colaborativo na WEB e converter o que já existe para que adote esta modalidade. Assim, mais pessoas intervirão neste espaço testemunhando sua fé naquilo que, João Paulo II nomeou como moderno areópago (Redemptoris Missio 37,c). Ele pretende desafiar os organismos, paróquias e utilizarem os recursos interativos o que faria a comunicação, interação e a formação dos agentes de salto desse um passo bastante significativo.

A expressão “ Igreja em Rede” quer lembrar a teologia do Vaticano II, e reforçada pelas seguidas conferências episcopais latino-americanas, especialmente em Aparecida, que uma das imagens da Igreja é ser rede de comunidade e de cristão interligados pelos vínculos da fé e do testemunho do radical seguimento e que tais vínculos podem e devem ser efetivados através da WEB.

Esta nova ação pastoral procura responder os apelos de documentos e orientações da Igreja sobre ao uso da internet na evangelização, que vê nela um excelente e atual recurso que deve ser conhecido e utilizado pela Igreja.

O documento mais significativo é, sem dúvida, Igreja e Internet, de 2002, do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, o qual aponta para três destaques do uso da internet na ação evangelizadora: 1) Superando a distância e o isolamento de muitas regiões, a internet possibilitaria a existência de comunidades virtuais de pessoas de fé, nas quais, estas poderiam se encorajar e auxiliar umas às outras. Estas ações não substituiriam a vivência comunitária, liturgica e sacramental, mas poderiam completá-las, propiciando uma experiência mais integral da vida religiosa dos internautas (Igreja e Internet,5). 2) De forma indireta, reconheceu que as duas características básicas das TICs: a possibilidade de que cada pessoa, ou grupo, ao expressar sua opinião na rede, torna-se produtor de informação e opinião e o pressuposto do trabalho coloborativo, contribuem para o fortalecimento de uma eclesiologia de comunhão e participação, de acordo com a Constituição DogmáticaLumen Gentium, pois a essência da Igreja é dialógica e comunitária (Igreja e Internet, 6). 3) Que sendo formadora, a Igreja deveria oferecer aos seus membros uma educação midiática (Igreja e Internet,7).

Neste ano, a mensagem do papa Bento XVI para o 43º Dia Mundial das Comunicações Sociais: Novas Tecnologias, Novas relações. Promover uma Cultura de Respeito, de Diálogo e de Amizade, a qual convidou a Igreja, e especialmente, os jovens a utilizarem os recursos digitas na evangelização. Paralelamente foi lançado o site, com um sugestivo nome: O papa para vocêespecialmente para os jovens, com quatro aplicativos sociais: Youtube, o Facebook, a Wiki Católica e o IFone.

Na América Latina, a 5ª Conferência do CELAM, em 2007,em Aparecida, sugeriu o uso dos recursos digitais na formação de agentes de pastoral para a realização da Grande Missão Latino-americana: “A Igreja se aproxima da Internet com realismo e confiança… Ela pode oferecer magníficas oportunidades de evangelização, se usada com competência e clara consciência de suas forças e fraquezas” (DA 488).

No Brasil, recentemente, a CNBB lançou o documento 88 – Projeto Nacional de Evangelização: O Brasil na Missão Continental, no qual apresenta as propostas concretas para esta missão que deverá ser realizada por todas as dioceses no Brasil.

Nesta mesma perspectiva, acreditamos que os vários organismos diocesanos, em consonância ao projeto para a Grande Missão Latino-americana e na preparação ao 7º PPO, possam se envolver e promover a utilização das TICs na Evangelização

.

2) Principais pontos do projeto:

AÇÕES PASTORAIS ATRAVÉS DA WEB 2.0

  1. Estimular e promover oficinas de trabalho, cursos, encontros sobre os diversos recursos, tais como Blog, Site Social, Comunidade Social, Editor de textos on-line para que a comunicação a interação, a formação de agentes e a pastoral sejam agilizadas.
  2. Através dos próprios recursos da WEB construir tutoriais que ensinem passo a utilização dos recursos da WEB 2.0
  3. Reunir através da Comunidade Social: “Igreja em Rede” agentes de pastoral que se identifiquem com o projeto seja como: técnicos, produtores de tutoriais que ensinem passo a utilização dos recursos da WEB 2.0, formadores, criadores de novas comunidades, etc.

AMBIENTE VIRTUAL de FORMAÇÃO

A plataforma de formação on-line, que está em fase de instalação, denominada Ambiente de Formação Virtual, que se enquadra na WEB 2.0, poderá ser configurada como uma grande comunidade social formativa e interativa da Arquidiocese reunindo grupos específicos dos diversos organismos e pastorais para realizarem virtualmente reuniões, estudos, mini cursos, cursos breves e longos. Para isso, será preciso:

  1. Reunir através da Comunidade Social: “Igreja em Rede” agentes de pastoral que se identifiquem com o projeto de formação on-line como preparadores de cursos de pastoral, como catequistas e/ou monitores on-line.
  2. Oferecer aos diversos organismos diocesanos espaços para montagem de cursos on-line no Ambiente Virtual de Formação.
  3. Dar encaminhamento ao projeto do Curso de Teologia: convidar professores para preparar e montar os módulos, convidar técnicos que deem apoio e/ou assessoria especializada na produção de recursos didáticos com mídias (áudio, vídeos, chats, etc

ASSISTÊNCIA AOS ORGANISMOS

Dar assistência técnica aos organismos para a utilização, compra, instalação de computadores e softwares colaborativos.

COMUNIDADES SOCIAIS

Promover a criação de comunidades sociais: Ning, Orkut, Facebook, Nação Católica, etc para a interação dos cristãos católicos

TWITTER

Estimular a reflexão sobre a criação de uma conta da Arquidiocese de Campinas no Twitter, também chamado de micro-blog com informações diárias dos vários organismos da Arquidiocese. Poderia se fixar horários, que deverão. ser publicados no próprio twitter, para os diversos grupos que enviariam a uma única pessoa suas notícias, que seriam publicadas em um único twitter, tais como 1) mensagem do dia (liturgia diária), 2) agenda do arcebispo, 3) agenda da coordenação de pastoral, ….

Este projeto da Coordenação de Pastoral da Arquidiocese está aberto a todos, pois na perspectiva da WEB 2.0, ele  deseja,  ser constantemente, avaliado e reconstruído de forma colaborativa, por isso conta com todas as pessoas de boa vontade.

 Participe, Intereja e Colabore.

setembro de 2009

A coordenação do AVF